Início » Sala de Imprensa

Notícias

08/06/2021

Hábito de coçar os olhos pode causar doença na córnea

Imagine começar a enxergar tudo borrado, distorcido e até duplicado. É isso que causa a ceratocone, doença que faz com que a membrana da frente do olho, que é redonda, fique com um formato que lembra um cone. A doença provoca o afinamento da córnea.

Ceratocone, é uma doença progressiva que pode afetar ambos os olhos. Caracteriza-se por uma alteração no formato da córnea, principal lente do olho humano. Além disso, à medida que a doença avança, a córnea aumenta a sua curvatura, o que provoca um desfoque visual. Ou seja, quanto mais a doença avança, maior o comprometimento da visão. E  para alertar sobre a ceratocone que foi criada a campanha Junho Violeta, que alerta para a existência da doença, seus sintomas e como preveni-la.

Ao contrário da maioria das doenças oftalmológicas, o ceratocone costuma surgir na infância, na adolescência ou no princípio da vida adulta. Contudo, é um problema hereditário que afeta de 1 a 2% dos brasileiros nessa faixa etária. Ele atinge a córnea, tornando a visão embaçada e irregular – a boa notícia é que, nos últimos anos, o tratamento melhorou bastante, como mostraremos mais pra frente.

A coceira nos olhos com frequência, sejam por questões alérgicas ou até de ressecamento dos olhos ao ar ou das luzes, pode gerar a deformidade na córnea, elevando os riscos de surgimento do Ceratocone ou até o agravamento da doença.

Problemas causados pela doença

A consequência da doença é o aparecimento ou piora de miopia e astigmatismo, o que leva a trocas constantes do grau dos óculos, sem melhora na qualidade visual. Outros sintomas muito comuns são: imagens duplas, aumento da sensibilidade à luz e presença de halos noturnos.

Tratamentos

Nas fases iniciais, quando a deformação da córnea não é grave, o uso de óculos ou lentes de contatos são suficientes para recuperar a acuidade visual.

Num segundo momento, quando as lentes não são toleráveis ou não proporcionam boa visão, o especialista pode indicar o implante de anéis intracorneanos para regularizar a curvatura da córnea. Outra alternativa seria o crosslinking, procedimento que reforça as ligações de colágeno da córnea usando riboflavina e luz ultravioleta. ⠀

Se nenhuma dessas alternativas devolver uma visão adequada, pode-se pensar no transplante de córnea (lamelar ou penetrante).

Embora a ceratocone seja uma causa frequente no transplante de córnea, ele só é indicado em um número pequeno de casos mais graves, quando os pacientes deixaram de responder bem às outras formas de tratamento.

Ele consiste na substituição da córnea comprometida pela ceratocone por outra saudável de um doador e disponibilizada num banco de olhos. Podendo ser trocada toda córnea (transplante penetrante) ou apenas algumas camadas (transplante lamelar).

É fundamental o acompanhamento do oftalmologista.

Tags: