marque sua consulta
(82) 2121-6868 (82) 2121-6821
Início » Sala de Imprensa

Notícias

02/03/2020

No mês da mulher, saiba um pouco mais sobre a menopausa e a saúde ocular

Março, mês da mulher e entre tantos momentos que marcam a vida delas um sempre causa muita ansiedade e dúvidas -  a menopausa. A atenção dada à saúde ocular deve ser intensificada nesse período da vida, uma vez que é marcado por intensas alterações hormonais. 

Independente de classe social, religião ou etnia, todas as mulheres passarão pela menopausa, que normalmente acontece entre 45 e 55 anos. Essa é uma fase da vida que mexe significativamente com a mulher devido às diversas transformações geradas no organismo feminino.

Menopausa é um processo natural do organismo que ocorre após a última menstruação espontânea da mulher. É nesse período que então se encerram os ciclos menstruais e ovulatórios.

O início da menopausa só pode ser considerado após um ano do último fluxo menstrual, pois durante esse intervalo, a mulher ainda pode ocasionalmente menstruar.

Existe um período de transição que antecede a menopausa chamado “climatério”. Ele representa a passagem da fase reprodutiva para a não reprodutiva. Ou seja, o organismo deixa de produzir, de forma lenta e gradativa, os hormônios estrogênio e progesterona.

Na menopausa, as mulheres se deparam com os mais diversos sintomas físicos e emocionais: calor, suores noturnos, insônia, diminuição do desejo sexual, ansiedade e irritabilidade.

Além desses sintomas, problemas relacionados à visão também podem ocorrer, a exemplo da síndrome do olho seco, que causa a sensibilidade à luz, coceira e sensação de areia nos olhos. Ele é provocado pelas mudanças hormonais que ocorrem durante o período da menopausa e afetam a produção dos componentes da lágrima.

Outro fator preocupante é o aumento no desenvolvimento da catarata. Ela surge por uma alteração no cristalino, que é uma das lentes do olho e é formada por camadas. Como na menopausa ocorre a interrupção da circulação do estrogênio, o aparecimento dessa doença fica facilitado.

Entretanto, essa afirmação não é um consenso geral entre os especialistas, pois algumas pesquisas mostram que a reposição hormonal ajuda a evitar o desenvolvimento da catarata. Já outros estudos apresentam que a reposição hormonal aumentou em 18% o risco de desenvolvimentos da doença.

Independente desses estudos, é necessário que as mulheres fiquem atentas aos sinais e sintomas que seu corpo transmite durante a menopausa e façam acompanhamento oftalmológico porque mudanças hormonais podem desencadear outros problemas na visão.

Por se tratar de um processo de transição que se inicia, geralmente, após os 40 anos, torna-se essencial o acompanhamento de um oftalmologista.